sábado, 19 de abril de 2008

Sindicatos e CML acordaram integração trabalhadores a "recibo verde"

O Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa (STML) chegou a acordo esta sexta-feira com o presidente da Câmara sobre a constituição de uma comissão arbitral que vai decidir a integração dos trabalhadores precários, noticia a Lusa/Portugal Diário.

«Chegámos a um acordo de princípio. Vamos avançar com a comissão arbitral», disse Joaquim Jorge, do STML, à Lusa, sobre o processo que irá avaliar a integração de cerca de 800 trabalhadores precários do município.

Segundo o dirigente sindical, a Câmara «cedeu» às pretensões do sindicato de que fosse criada uma «comissão de acompanhamento que fará uma pré-análise de todos os casos para depois a comissão arbitral pronunciar-se».

Outra das exigências do sindicato que foi atendida foi o acesso à comissão arbitral por parte dos cerca de 120 trabalhadores avençados que tinham sido dispensados em Dezembro de 2007, que poderão assim ver o seu processo reanalisado.

Como o sindicato mantém a dúvida de que legalmente a comissão arbitral substitua um concurso de oferta de emprego e teme uma eventual contestação do processo em tribunal, António Costa acordou que caso haja uma impugnação em tribunal «serão abertas ofertas públicas de emprego».

À margem da assinatura do acordo com a organização do Rock in Rio, António Costa limitou-se a dizer aos jornalistas que «a reunião com os sindicatos correu bem», não adiantando se as partes tinham chegada a um acordo.

«Há trabalho técnico a fazer pelos juristas e é uma matéria que implica a intervenção da Câmara», justificou, acrescentando que vai iniciar «contactos políticos com as diferentes forças» sobre o teor da reunião.

Mais notícias em:

14 comentários:

Anónimo disse...

E o k é k fez por isto camarada aranda? Vá mandar areia para outros olhos...

Anónimo disse...

Quemerda de comentário! Isto serve pra quê ó anónimo???

Anónimo disse...

Excelente notícia! É uma vitória histórica. Parabéns!

Tiago R. disse...

Vitória história? Está tudo doente?

Quando começarem os despedimentos - perdão! as não-renovações - o BE ainda vai amargar esta atitude mais-papista-que-o-papa, de subserviência para com o António Costa.

Mas se calhar não é o BE, mas apenas o Bloco-do-Sá-Fernandes...

Anónimo disse...

Nem mais tiago r. Ainda quem quem perceba o que é areia para os olhos.

Anónimo disse...

Não há pior cego do que aquele que não quer ver... o tiago r. é o único tipo esperto... sindicatos, partidos, etc, são todos estúpidos e fazem todos o jogo do Costa... Oh tiago r., custa-te um pouco encarar a realidade, não é?

B Aranda disse...

Antes demais, é só para avisar que o camarada aranda, quando faz posts ou comentários, assina-os.



Para além disso, este post parece ser copy, paste de uma notícia que saíu no jornal. Uma notícia sobre um tema que tem interessado particularmente os comentadores do blog. Estamos apenas a divulgá-la.

Pedro disse...

Estas vitórias históricas deixam muito a desejar. Temo que isto só sirva para embalar mais um pouco os rvs da CML. Não é a primeira vez que se decidem soluções miraculosas para o precariado da CML e que depois acabam dando em nada. Claro que hoje é pior do que isso: PODEM DAR EM DESPEDIMENTO!!"!

Anónimo disse...

Isto é apenas um acordo de princípio. Não há mais do que isso.
A ver se a malta se deixa de cantar vitórias da treta e se continua a mobilizar.

Anónimo disse...

Não seria tempo do BE na CML assumir uma posição firme acerca deste acordo?
O q está afinal acordado?
Vcs têm informações. Partilhem-na

Anónimo disse...

Não se esqueçam que os pressupostos deste processo terão de ir a reunião de câmara. Aí é que se vai ver a posição das diversas forças. Até lá seria conveniente deixar os técnicos dos recursos humanos e dos sindicatos trabalharem para afinarem a proposta. Lá que isto é um grande passo é verdade, mas vamos esperar pela reunião da cml.

Anónimo disse...

O vereador dos Recursos Humanos, Cardoso da Silva, disse hoje numa reunião de uma comissão da Assembleia Municipal que há uma espécie de compromisso dentro da Câmara para nada ser dito até à realização da sessão de Câmara. É preciso serenidade para que as bases do acordo se ultimem. O que já público foi através de um dirigente do STML que falou para a Lusa.

Um gajo que começa a estar farto de tretas disse...

E o Costa continua caladinho. Afinal caros amigos, o que cozinha essa camarilha?

Cardoso da Silva, Toni Costa, Manuela Vitório e Centeno Fragoso são gente do pior. E eu não quero eleitoralismo balofo a solucionar o meu problema. Quero dados concretos. Mereço-o porque dou a minha vida profissional à CML desde 2001.

Anónimo disse...

Fala-se que o executivo só vai assumir compromisso em relação a 400 recibos verdes alegando que só esse número corresponde a verdadeiros contratos de trabalho.

Em prova para os tribunais vão estar registos de ponto de trabalhadores precários e todos os contratos assinados há mais de 3 anos e meio.

Alguem sabe mais alguma coisa acerca disto? A informação foi prestada por quem está a acompanhar o processo de perto. Muito perto mas que não sabe a redação final do documento que o vereador dos ReHum vai levar a sessão de CM