terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Orçamento Municipal 2008

O Orçamento e o Plano para o exercício municipal de 2008 deverão ir a reunião (extraordinária) de Câmara no próximo dia 17.


A proposta reduz a despesa em mais de 253 milhões de euros (-31,7%), ajustando-se assim a uma previsão da receita na ordem dos 546 milhões de euros.

Lisboa, desta forma, poderá vir a deixar de ter orçamentos virtuais (empolamento da receita) que serviram para esconder a grave crise financeira em que o município se foi afundando nos últimos anos.

Este foi o primeiro orçamento na história de Lisboa que teve um processo consultivo prévio aberto aos munícipes, na perspectiva do Orçamento Participativo a ser aplicado para 2009.

O Executivo apresentará publicamente a proposta em conferência de imprensa, hoje, às 11h30, nos Paços do Concelho.

[P]

6 comentários:

www.lisboaemalerta.blogspot.com disse...

O que vai fazer o Bloco acerca dos novos contratos para os recibos verdes?

Se desconhecem o truque vão ao Lisboa em Alerta e vejam o que se passa.

Anónimo disse...

E no orçamento?
o Bloco vai aceitar que se consagre o corte cego de 60% no trabalho extraordinário?

Lembram-se da UDP? Lembram-se do PSR? Lembram-se de ser de esquerda?

Anónimo disse...

Mas ser de esquerda é aumentar o tempo de trabalho? Se me falassem em aumento salarial, acharia muito bem. Mas quanto a horas extraordinárias... O Bloco até apresentou uma proposta de redução do horário de trabalho!

Anónimo disse...

É impossível fazer um corte cego nas horas extraordinárias. A Câmara ficaria paralizada. O que tem de ser feito é um corte selectivo. Sobretudo nas chefias e altos quadros que são os que mais ganham e os que metem mais horas. Sou eu que vos digo que conheço bem a coisa...

Anónimo disse...

Ao lisboaemalerta: vamos analisar a questão que colocam.

Anónimo disse...

Ao lisboaemalerta: vamos analisar a questão que colocam.