sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Mais uma aberração urbanística aprovada na CML


Vereador eleito pelo BE, Cidadãos por Lisboa, PCP e dois vereadores de Lisboa com Carmona votaram contra mais uma aberração urbanística em Lisboa. Desta vez na Rua Rosa Araújo, onde pela junção de três edifícios se pretende fazer um hotel que não será mais do que uma espécie de um implante que irá para além da altura original dos imóveis, acrescentando novos pisos.

É profundamente lamentável que a CML tenha aprovado, com o voto de desempate do Sr. Presidente, o projecto de alterações/ampliação para a construção de um hotel nos edifícios Nº 4, 6 e 8, da Rua Rosa Araújo, freguesia do Coração de Jesus, que constituiu o Proc.º n.º 27/URB/2006.

É lamentável porque:


- Não se trata de qualquer projecto de reabilitação urbana mas apenas da viabilização de negócio a particular, uma vez que os edifícios são perfeitamente recuperáveis (até há pouco tempo eram habitados), se o promotor assim o quisesse e a CML assim o promovesse, como devia ser seu apanágio, ainda mais numa zona, o Bairro Barata Salgueiro, cujo conjunto inexplicavelmente nunca foi classificado pelo IGESPAR;

- Dos três projectos submetidos à reunião de CML era o de maior gravidade (em termos de quebra do equilíbrio urbanístico do novo projecto, abandono deliberado dos edifícios, desrespeito pela qualidade arquitectónica dos mesmos) e foi o único a ser aprovado;

- Se trata de um projecto que está há anos para ser despachado pela CML, daí que o seu agendamento nesta altura nos pareça de estranhar, pela coincidência, no tempo e no modo, com declarações do próprio promotor às câmaras da SIC pedindo para a CML agilizar o processo;

- Finalmente, é lamentável porque, mais uma vez, tudo continua como dantes, ou seja: - A CML e a Junta respectiva não promoveram qualquer debate público; - O IGESPAR não cumpriu a sua função.

(retirado do Cidadania Lx)

6 comentários:

Anónimo disse...

Gosto imenso do projecto! antes isto do k uma lisboa degradada e casas por habitar....

Anónimo disse...

Pois, não há alternativa? Ou isto ou a ruina? Sinceramente!

Anónimo disse...

no limite no limite, mais valia terem a coragem de assumir que a história urbanística não interessa para nada, e demolir os edifícios e construirem outro.
Já chega de pastichagem e hibridez.
Não percebem que esta prática na maioria dos casos, resulta numa cacofonia semiológica ??

Jmendes

Anónimo disse...

nao concordo nada com a ultima opiniao...pois assim ha uma abordagem arrojada, e é isso k Lisboa precisa-de projectos arrojados que nos preparem para o futuro! PARABENS pelo projecto e PARABENS a CML pelo bem que tem feito a cidade

Anónimo disse...

Ok, vamos pôr uma chaminé metálica de uma inceneradora por cima da estatua de São José, pois e "uma abordagem arrojada" logo é fixe

JC disse...

É lamentável que uma rua como a Rosa Araújo tenha este destino. Sinto uma total impotência para fazer face a tantos "factos consumados". Comentei este assunto em: www.stolethetarts.blogspot.com/