quinta-feira, 22 de maio de 2008

Praça das Flores totalmente requalificada no início de Junho


O jardim da Praça das Flores, na freguesia das Mercês vai ser totalmente requalificado, estando os trabalhos de recuperação do espaço já em curso desde a passada semana.
As obras de recuperação incluem uma acção de limpeza profunda e a requalificação total dos espaços verdes do jardim, através da plantação de novas espécies herbáceas.
Será ainda contemplada a limpeza da fonte do jardim, assim como a recuperação do quiosque existente que se encontra profundamente degradado
Quanto às zonas de pavimento do jardim irá proceder-se à reposição das pedras e degraus partidos e ainda à pintura de todos os muretes
Os trabalhos de requalificação deste espaço estarão concluídos na primeira semana do mês de Junho.
A recuperação total desta praça lisboeta tão característica e a sua devolução a todos os munícipes e visitantes, com as devidas condições, em termos de lazer e vivência social, faz parte do conjunto de intervenções urgentes contempladas pelo Vereador do Pelouro do Ambiente e Espaços Verdes, José Sá Fernandes, a ter lugar na freguesia das Mercês, que integram o plano de mais de 200 acções a ter lugar nas 53 juntas de freguesia da cidade até 2009, apresentado na CML no passado dia 19 de Maio.
Lisboa ganhará assim, já no início de Junho, mais um local, devidamente aprazível, para o convívio salutar entre os seus munícipes.
Veja a notícia do Público de hoje.

6 comentários:

Anónimo disse...

Sempre achei que só a VERDADE é revolucionária.
Dizer neste post que "o plano de mais de 200 acções a ter lugar nas 53 juntas de freguesia da cidade até 2009" é estar a mentir. As tais 200 acções foram apresentadas com o prazo de 2011, como é referido, e bem, na notícia do Público. Não é assim que se anula o efeito da saída "espontânea" da coligação PCP/PSD da apresentação destas acções.

Anónimo disse...

Manter um blogue não é só colocar uns posts de vez em quando. Também é dialogar nas caixas de comentários.
Não há uma correcção a fazer á notícia que transcreveram do público?

feio disse...

O que o autor do post não diz, ou não sabe, é que a requalificação da praça é feita com uma pequena contrapartida. A Praça das Flores vai estar fechada ao trânsito durante mais de 15 dias, para a apresentação de um novo modelo de automóvel (Skoda). O evento é privado, razão pela qual as pessoas não vão poder usufruir das mesma, das 17.00 à 1.00.

"Não sei por que motivo é que as pessoas estão tão mal-informadas", diz, salvo erro, ao Público o vereador Sá Fernandes, afirmando que "ninguém tem de fechar portas nem sequer a praça vai ser vedada, até porque só será cortado um pequeno troço da Rua Marcos Portugal". Mentira. A Praça das Flores vai estar fechada, sim, das 17.00 à 1.00, todos os dias em que decorrer o evento "internacional".

Ao DN, o mesmo senhor afirmou que "vamos deixar de ter uma praça imunda, para passar a ter uma praça totalmente requalificada". Imunda? Dos locais onde já morei (onde se incluem Santos e a Graça), a Praça das Flores é a zona que mais vezes vejo ser limpa. Nestes últimos três anos, nunca a vi, sequer, suja, quanto mais imunda. E sempre esteve em óptimas condições, facto que se traduz na visita de muitos lisboetas e turistas, que diariamente por ali passam . Não percebo como pode o senhor Sá Fernandes fazer semelhante afirmação. Das duas uma: ou é hipócrita, ou está muito mal informado.

"Tanto os moradores como Lisboa saem a ganhar com o evento que animará diariamente a Praça das Flores das 17h00 à 1h00", diz o vereador ao Público. Os moradores? Não sei se Sá Fernandes se apercebeu, mas o evento é privado. Ou seja, os moradores não vão poder, sequer, aceder à praça, durante o referido horário.

O que ganham, então? A requalificação de uma praça que não precisava de ser requalificada? Como é que os comerciantes vão ter mais movimento, tal como afirma também o vereador ao DN, se ninguém vai poder entrar na Praça das Flores a partir das 17.00, e se durante o resto do dia não se pode estacionar na mesma?

Pena que a maior parte das reportagens realizadas não expresse o sentimento geral que se vive entre os moradores, indignação já expressa num abaixo-assinado e num movimento de "resistência passiva".

Gostava de saber em que vão ser aplicados os 50 mil euros que a CML arrecada com o aluguer daquele espaço público.

Anónimo disse...

Sá Fernandes descobre o capitalismo como solução para Lisboa!
Segundo se tem noticiado, a Praça das Flores tem estado submetida a uma mega-operação publicitária da construtora automóvel SKODA. Confrontado com as queixas e preocupações de moradores e lojistas - aqueles criticando o aparato e o ruído, estes temendo os prejuízos que o condicionamento da circulação no local poderá acarretar -, Sá Fernandes, actual Vereador do Pelouro do Ambiente e Espaços Verdes da CML, vem manifestar surpresa pela incompreesão daqueles munícipes e declarar a sua absoluta satisfação com o evento. Afinal, segundo este, a iniciativa só trás benefícios: a construtora não só ficará responsável pelo encargo de finalizar a intervenção de reabilitação do jardim daquela praça, como deverá pagar ao munícipio, em taxas diversas, cerca de € 50.000. Em suma: Sá Fernandes, o nosso velho conhecido cavaleiro da moralidade urbanística e figura (independente) de cartaz do Bloco de Esquerda, recém convertido às belas artes do pragmatismo político, acaba de descobrir as virtualidades do capitalismo.
A assim ser, se o evento (privado) não condicionar a fruição pública daquele espaço - como afirma Sá Fernandes - e até garantir a sua recuperação sem que isso comporte qualquer encargo para uma das autarquias mais deficitárias do país, a transacção, admita-mo-lo, até que constituirá uma mais valia para a cidade. Todavia, não deixa de ser curioso testemunhar, mais uma vez, o poder de conversão do Poder e a facilidade com que o quotidiano político esbate e elide tibíos idealismos e vácuas proclamações. Viva o capitalismo. Viva o consumismo. Viva o automóvel. Viva as festas organizadas por tias.
Tá calado povo, não fazes cá falta ao Zé.

Anónimo disse...

Estive hoje na Praça das Flores. O que ali se está a passar é escandaloso. O Costa comprou o silêncio do Zé, o Zé perverteu-se e o Bloco? Nada? Silêncio? Perversão do Bloco. Cuidado. O Zé aCosta-se rapidamente ao PS para 2009 e o Bloco da fama não se livra tão depressa.

Marta disse...

Os moradores que skodam.