segunda-feira, 31 de março de 2008

Corredor Verde avança após 30 anos

Foto: Jornal de Notícias
Sábado de manhã, 10H, um grupo de mais de 50 pessoas, sócios do Centro Nacional de Cultura, acompanhou o Arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles e o Vereador José Sá Fernandes, no percurso pelo Corredor Verde entre o Alto do Parque Eduardo VII e Monsanto, e ficou a saber que, 30 anos depois, este projecto será mesmo concretizado. Também estive lá: foi agradavel perceber como se poderá ligar a cidade a Mosanto, o pulmão verde da cidade, e o que é necessário concretizar até 2009, muito do qual ja está a avançar, desde Setembro de 2008.
Entre o Parque Eduardo VII e o Parque Florestal de Monsanto, em Lisboa, existem 6,5 quilómetros de espaços verdes, que até ao Verão do próximo ano vão ficar ligados entre si.
A garantia que o Corredor Verde da cidade vai finalmente avançar foi dada ontem por José Sá Fernandes, vereador responsável pelos Espaços Verdes da Câmara de Lisboa, que pretende assim concretizar um das suas promessas eleitorais.
O autarca promete assim realizar um sonho antigo do arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles, que há cerca de 30 anos idealizou aquele percurso pedonal, sem que até hoje o tenha visto acontecer.Ao todo, o projecto - que inclui nivelamentos de piso, construção de uma ponte, entre vários outros trabalhos - custará 500 mil euros, mas a maior parte da verba será assegurada por financiamentos exteriores e também por dinheiro do Casino de Lisboa, explicou Sá Fernandes, que acedeu ao convite do Centro Nacional de Cultura e foi o cicerone durante um passeio pedonal pelos 6,5 quilómetros do futuro Corredor Verde.
As novidades começam logo entre o Parque Eduardo VII e o Jardim Amália Rodrigues, onde haverá nivelamento de piso e uma passagem para peões. Também para chegar à parte de trás do Palácio da Justiça será feita uma passagem para peões.
Para a zona da Avenida Gulbenkian está prevista uma ponte de ligação pedonal até perto das instalações da Polícia Municipal (PM). Sá Fernandes espera conseguir lançar o concurso de adjudicação no final do mês de Maio e acredita que em Novembro será possível arrancar com a construção. A conclusão está prevista para o Verão de 2009, assim como os restantes trabalhos.
Duas cafetarias vão ser construídas ao longo do percurso uma perto da PM e outra junto à quinta municipal José Pinto, perto do Bairro da Liberdade, em Campolide. A quinta também será recuperada e para chegar a Monsanto será aproveitada a passagem pedonal já existente.
Na entrada do Parque Florestal, haverá uma recepção: uma construção municipal que vai ser recuperada. O actual parque de estacionamento vai ser melhorado, assim como o caminho que leva para ao interior do parque.
No final da longa caminhada, Sá Fernandes anunciou que está estudo um sistema que permita o aluguer de bicicletas e carrinhos eléctricos num ponto do percurso e posterior devolução noutra zona, depois de utilizados.

5 comentários:

Anónimo disse...

Deram-me hoje um jornal, com o titulo Jornal de Lisboa ,e editado por um senhor Francisco Morais Barros...

Encoberto por um pseudo-pluralismo, não é mais que um jornal de propaganda do PCP.

E isto que faz-me confusão, o PCP é oposição na Camara de Lisboa, e especialmente a tudo o que tenha a assinatura, de Sá Fernandes.

Está no seu direito.

Não entendo é porque tem necessidade destas capas para levar a água ao seu moinho.

Ou pensa o PCP que os Lisboetas são um cambada de mentecaptos, que não percebem , donde vêm estas folhas de propaganda......

Anónimo disse...

Olha que parece que esse Francisco Morais de Barros era assessor do ex-vereador Lipari. Esse jornal deve ser uma operação do PSD ou, melhor dito, de uma facção do PSD. Claro que abominam o Sá e o BE!

Anónimo disse...

Até pode ser do PSD, mas a propaganda é toda a favor do PCP....

Estranho.... ou talvez não.... é a aliança PSD-PCP-Carmona a funcionar....

Bernardino Aranda disse...

Será de uma das facções do PSD? O PCP? A Helena Roseta? ...apesar de tudo, a Vereadora é uma das suas colunista e o cartoon anti-Zé é assinado por Manuel João Ramos…

Uma coisa é certa: Influenciado pelo Bloco ou pelo zé, não é de certeza, pois nunca fomos contactados para nada.

É como o Fórum Cidadania LX. Esse Blog (linkado aqui desde a primeira hora), tem feito um trabalho importante, que faz falta à cidade. Mas parece-me ser como o jornal de Lisboa: apesar de não se preceber muito bem que grupo político tem a hegemonia, pode-se dizer que têm o traço comum de não querer nada com Lisboa é Gente, nem com o Sá Fernandes, nem com o Bloco.

Anónimo disse...

Ehh pah o Manuel João Ramos é cartoonista???? Eu bem sabia que ele nas "baldas" que dá às sessões da CML devia estar a ocupar-se com algo mais edificante!!!!