quarta-feira, 12 de março de 2008

Chave de Ouro da cidade para Barroso - Revoltante.


Take da Lusa: «O executivo municipal aprovou hoje a atribuição da chave de ouro da cidade ao presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, que teve a oposição do PCP. O vice-presidente da autarquia, Marcos Perestrello, justificou a distinção com o contributo de Durão Barroso para que o novo tratado europeu fosse assinado em Lisboa, ligando "o nome da cidade às instituições europeias".»

Acho lamentável que uma câmara maioritáriamente de esquerda tenha atribuido tal distinção a Barroso.

Em primeiro lugar, porque o argumento do vice-presidente é falso; mesmo que fosse importante o Tratado ter o nome de Lisboa, o facto é que isso nada tem a ver com Barroso, mas sim com o simples facto de Portugal estar na presidência da UE naquele momento. Ok, a assinatura podia ter sido no Porto ou na Guarda, mas teria sido sempre numa cidade portuguesa. E quem decidia era sempre a presidência portuguesa.

Em segundo lugar, porque Durão Barroso é internacionalmente reconhecido por estar ligado a um momento essencial da mentira montada para justificar a invasão e o massacre do Iraque - a cimeira dos Açores, e porque ele próprio mentiu aos portugueses. Na véspera da cimeira, afirmava com toda a hipocrisia que " a cimeira dos Açores é o último esforço na procura de uma solução pacífica para o Iraque". Afinal, era a declaração de guerra...

Se tivesse estado na reunião de câmara teria votado contra, sem qualquer hesitação.

É justo que se esclareça que o vereador eleito pelo BE não estava na reunião na altura desta votação.

Pedro Soares

22 comentários:

Anónimo disse...

Ora aqui está uma atitude sensata...

Mas para todos os efeitos só a CDU votou contra, era bom que o Bloco se demarcasse desta fantochada.

Duas questões, se é proibido paineis de propaganda comercial, em edificios desabitados, ou em ruina, porque carga de água se continuam a ver na Fontes Pereira de Melo e na Av da Republica, enorme cortinas em pano a publicitar, bancos, produtos de limpeza, carros etc....

Porque é que apesar de tantas reclamações, o Liceu Francês continua, ás 8 da manhã e ás 4 da tarde, a empatar e de que maneira, o transito nas Amoreiras.

Carros em segunda e terceira fila, sem nenhum respeito pelos transportes publicos, quando com civismo, e com a colaboração do Liceu Francês, o problema há muito que poderia estar resolvido...

Assim e mesmo com a policia municipal é o caos diariamente.

Anónimo disse...

Claro que o Bloco tem que se demarcar! O Zé está em roda-livre, convém que alguém deite mão à coisa...

Anónimo disse...

A lista do Bloco de Esquerda tem de ter gente da sua confiança politica e ideológica nos primeiros lugares. Que isto sirva de exemplo.

Isabel Faria disse...

Pedro, vendo agora o parágrafo que acrescentaste ao teu post de ontem sobre a ausência de Sá Fernandes durante a votação, não seria também justo (para Sá Fernandes) e, sobretudo, necessário, para Sá Fernandes e para o Bloco,que os eleitores de Sá Fernandes e do Bloco, soubessesm porque é que o Vereador não estava na reunião durante essa votação?
E já agora, não seria necessário que se encontrasse forma de fazer chegar à CS, a informação que, aqui deixas? Por mais gente que passe pelos Blogs, grande parte do eleitorado do "Lisboa é Gente" e os municipes de Lisboa, não devem ser visitantes assiduos de Blogs, ou serão?

A notícia que chega é que Durão Barroso, o homem das meniras e das Lajes, foi condecorado com a chave de ouro da cidade...e que só a CDU votou contra.
Deixa-se ficar assim?

Anónimo disse...

Concerteza que tinha ido fazer xixi... Já não se pode?

Anónimo disse...

No Bloco ainda não entenderam o que é apresentar listas ás autarquias.

Nas autarquias tratam-se os problemas CONCRETOS das populações.

Tudo o resto é secundario.

Esta medalha é um erro, certamente, mas o que é que isto aquece ou arrefece, no combate á corrupção, ao desperdicio de dinheiros, á integração dos avençados, á defesa de um melhor ambiente para a cidade, a um urbanismo controlado, a melhores transportes públicos.

Certamente assuntos de somenos, para certos comentadores, mas essenciais para os povo de Lisboa.

Anónimo disse...

Se achas que o problema da guerra é uma questão menor, que deve estar desligado do tratamento dos problemas CONCRETOS... tudo bem. A política é para o Costa e outros, para o Bloco devem ser os jardins.

Anónimo disse...

Se achas que o problema da guerra é uma questão menor, que deve estar desligado do tratamento dos problemas CONCRETOS... tudo bem. A política é para o Costa e outros, para o Bloco devem ser os jardins.

Anónimo disse...

Acho lamentável que uma câmara maioritáriamente de esquerda...
Ups! Será que eu, enquanto munícipe de Lisboa, simpatizante de um partido da dita direita, deve procurar sair da cidade e ir morar e trabalhar para outro lado? È que o BE não perde mesmo as suas tendências estalinistas e anti-democráticas. Se chegam ao poder! Aonde é que vão construir os gulags? Preocupem-se é com o que realmente é importante para se tornar Lisboa uma cidade verdadeiramente Capital e, deixem-se de birrinhas e ciumeiras por o outro ter recebido uma medalhinha. E mais respeito por todos os munícipes de Lisboa, que se sentem à direita quer à esquerda, sabe-se lá de quem! A partir do momento que assumem responsabilidades governativas municipais, não hà politicas de esquerda nem de direita, deve haver é sim a concretização de uma função pública para o bem de uma cidade. Ou eu agora por "ser de direita" não tenho os mesmos direitos e não mereço o mesmo respeito que o meu vizinho do andar esquerdo!

Anónimo disse...

quando não há políticas de esquerda nem de direita significa que são de direita

Anónimo disse...

O combate á corrupção , ao despesismo, por um desenvolvimento sustentado, pela defesa do meio ambiente, pelo fim da praga dos recibos verdes nas Camara, por transportes publicos ao serviço da população,contra a especulação imobiliaria,sobre a exclusão social etc etc, são sem duvida medidas, que devem fazer parte de uma politica de esquerda para as Camaras Municipais.

Debates sobre , o desemprego, as assimetrias sociais, a politica externa,o deficite orçamental, são materias que sendo importantes, são mais indicadas para se discutirem no PARLAMENTO, com o governo, do que assuntos de primeiro plano na politica autarquica.

Lamento mas quem não percebe isto, não entende nada do que é ser vereador, ou mesmo membro de uma junta de freguesia.

Essa talvez seja a principal razão, da fraca representatividade do Bloco ,a nivel dos orgãos de poder local.

Anónimo disse...

...medidas, que devem fazer parte de uma politica de esquerda para as Camaras Municipais.
Quer dizer, se eu fosse um autarca eleito pelos munícipes, representando um partido da chamada direita, não podia sequer ousar procurar resolver esse tipo de situações (combate á corrupção , ao despesismo, por um desenvolvimento sustentado, pela defesa do meio ambiente, pelo fim da praga dos recibos verdes nas Camara, por transportes publicos ao serviço da população,contra a especulação imobiliaria,sobre a exclusão social etc etc.)? Ainda vinha aì um lacaio do BE atrás de mim... espera aí ó das direitas, não podes resolver essas situações, pá aqui nesta minha inciclopédia, diz que isso é mais prá esquerda! Deixa ver o que tu podes fazer...

Anónimo disse...

pois, pois, anónimo anterior, dê-me então um, basta um, exemplo de um presidente de câmara de direita que tenha posto as políticas que cita em prática.

Anónimo disse...

Acho estranho que um dos principais dirigentes do BE e membro do gabinete de Sá Fernandes tenha mais pressa em escrever como teria votado se fosse vereador do que em saber como votara ou se tinha votado o seu vereador, informação que só acrescentou mais tarde.

Anónimo disse...

Por acaso, acho que o que teria sido estranho era o BE não ter tomado uma posição clara e imediata sobre a matéria, quando já circulava pela imprensa que só o PCP tinha votado contra. Até porque o Sá Fernandes também só não votou contra porque foi fazer chichi naquele momento, não é verdade?

Bernardino Aranda disse...

Sá Fernandes disse à comunicação social que se tivesse estado na altura da votação dentro da sala teria votado contra.

Eu estava na reunião e confirmo isso mesmo.

Mais claro do que isto?

Basta de conjecturas sobre conjecturas e de processos de intenção.

Este pedido vai direccionado, sobretudo, para @(s) autor(es) do 2º e o 3º comentário - aparentemente de apoiantes do BE (?)

tms disse...

Caro Bernardino, camarada de tantas lutas, acredito que Sá Fernandes teria votado contra se não se tivesse ausentado da sala. Acho estranho tê-lo feito, mas porque és tu a dizê-lo acredito.
De qualquer forma, mais grave do que essa ausência, é a entrevista de Sá Fernandes ao Correio da Manhã. A lógica de subalternização da política em prol de um abstracto "melhor para Lisboa" é de um populismo atroz e, acredito, que também te provoque arrepios.
Um abraço

Anónimo disse...

Conjecturas? Então respondam claramente aos bloquistas porque é que o vereador se ausentou na altura de uma votação tão importante? Porque não pediu o adiamento da votação? Saiu para não votar ou teve que sair e não voltou?
Até parece que esta é uma questão menor ou que alguém puxou o SF para fora da sala! O que se passou foi revoltante, como diz o PSoares, e o Bloco devia ter estado lá, votado contra e dito em voz alta que é uma vergonha que o PS apresente uma proposta daquelas.
E sim , sou militante do Bloco, o nome é irrelevante.

b aranda disse...

Caro camarada, se é assim tão importante, não será melhor perguntares directamente ao Zé ou a um dirigente do partido em vez de pedires explicações - dessa forma - num blog?

Anónimo disse...

Não conheço o Zé, e ninguém com quem falei me soube responder. Não fui eu que trouxe o tema para o blog e não me parece que a minha pergunta contenha informação confidencial. Saber porque é que o vereador do bloco não participou numa votação tão importante não deveria ser público para os aderentes e eleitores? Se não existir uma resposta pública será legítimo que se especule, como já ouvi, que o Zé se ausentou para não votar contra o PS. E eu não quero acreditar nisso.

Anónimo disse...

Pois foi isso mesmo que aconteceu, é o toma lá dá cá... em resumo a porca da política. Julgavam que os BE`s eram imaculados? Tudo na política tem um preço. A cobrança faz-se é mais ou menos cedo! Não tarda muito estão a sair cá para fora os aspectos menos positivos do Sá F. e dos seus correligionários (assessores...)na CMLx. Já circulam pelos corredores...

Anónimo disse...

Apoio-te Pedro Soares.

Os Sás Fernandes e sus muchachos alinham pela mesma bitola que o PS não vá a tachada acabar antes do previsto.
Condecorar o Durão é envergonhar Lisboa. E ninguem me tira da cabeça que o homem só chegou a Presidente da CE por mãozinha dos americanos nos assuntos europeus.

Porca miséria