segunda-feira, 10 de março de 2008

As eólicas do "Wind Parade"

Em relação à notícia publicada no Expresso, no passado sábado, sobre o projecto "Wind Parade", sobre o qual o Vereador José Sá Fernandes está a elaborar uma proposta para ser apresentada na CML, importa esclarecer alguns aspectos.
É um facto que a CML deseja promover as energias alternativas, tendo para tal, vindo a desenvolver projectos, em parceria com a Agência de Energia e Ambiente, Lisboa E-Nova, tal como foi dado a conhecer recentemente, com a apresentação do Plano de Actividades da agência para 2008.
O eventual apoio da CML ao projecto "Wind Parade", assume-se, no âmbito desta estratégia, sobretudo como uma forma de sensibilização para a questão da microgeração.
Prevê-se que a iniciativa "Wind Parade Lisboa" tenha lugar entre 1 de Junho e 31 de Dezembro de 2008, através de um protocolo a aprovar pela CML e no qual estão envolvidas duas entidades privadas, parceiras do projecto.
A ideia é que a CML se associe a esta iniciativa da seguinte forma: disponibilizando uma lista de locais onde serão instaladas micro-turbinas eólicas, que poderão ser entre 15 e 25 turbinas, sendo os locais escolhidos para a colocação, avaliados e aferidos pelos respectivos serviços da CML, responsáveis pelo Espaço Público. As turbinas são instaladas e desinstaladas no final do evento, pagando os privados todas as taxas devidas à CML.
A CML dedicará o dia 15 de Junho (Domingo) ao vento, reservando o Terreiro do Paço e a sua agenda a esta temática, realizando uma série de actividades neste dia alusivas à questão da energias eólicas.
A questão da localização das turbinas será devidamente acautelada pelos serviços, tendo em conta que os locais a escolher deverão ser locais movimentados, a cotas altas da cidade ou na zona ribeirinha para garantir vento, longe de habitações, visíveis, se possível associados a vias de comunicação, garantindo ausência de prejuízos para a vida quotidiana dos cidadãos, permitindo ligações à rede eléctrica para que durante o evento a CML use e energia produzida.
Os parceiros privados envolvidos terão ainda que repor a situação anterior à montagem e desmontagem da turbina.
A questão do ruído será também contornada, uma vez que as turbinas serão colocadas em locais, onde, pela sua envolvente, existe ruído exterior superior ao provocado pelo próprio movimento destas.
Quanto à dimensão das turbinas é falso que estas tenham a altura de quatro andares. Na verdade cada uma terá a altura equivalente a um candeeiro de iluminação pública.
[CO]

4 comentários:

Anónimo disse...

Já se sabe que o PCP está contra por causa dos morcegos.....

Anónimo disse...

caramba... chega de hipocrisia! mas porque é que neste blogue nunca se conta a história toda? :-)

...porque é que não se conta que as "ventoinhas" vão conter publicidade e que portanto serão na realidade outdoors de publicidade!... (onde o promotor irá recuperar num piscar de olhos o dinheiro gasto)

...porque é que não se conta que na realidade estas "ventoinhas" não produzem nestas condições energia compensatória! (...aliás parece que apenas acendem umas poucas de lâmpadas)

...porque é que não se conta que o promotor do "evento" pretende a seguir lançar uma campanha para vender "ventoinhas" no mercado! (...e que tudo isto não é mais do que uma campanha publicitária)

...porque será?

será do guaraná? ou será porque o Bloco de Esquerda parece que acha bem vender a cidade de Lisboa aos privados?

...tenham vergonha, meus caros!

B aranda disse...

1. VocÊ acha que não deve haver publicidade na cidade? Ou é só a que está associada a propostas de Sá Fernandes?

2. Foi repetido vezes sem conta que este é um eento de sensiblização ambiental. O objectivo das torbinas não é produzir energia maciçamente. Serão no máximo 15 micro-eólicas numa exposição temporária. Quem está a criar confusão é o an´´onimo

3. De facto, o construtor das turbinas pretende vende-las no mercado. Tal como os construtores dos paineis solares. É esse o argumento? É contra a mercantilização das energias alternativas? Deixe-me rir!

4. Acha mesmo que o Bloco quer com este evento vender a cidade aos privados? Não será antes fazer aquilo que diz que quer fazer? Promover um evento de sensiblização para as questões das energias renováveis e para a possiblidade da micro-geração e venda de energia à rede pelos detentores de sistemas de aproveitamento de energias renováveis?

"tenham vergonha, meus caros?" Que comentário tão pedante, vindo de quem não fez nenhum esforço para compreender uma simples proposta, e que é contra um bom projecto só porque não é apresentado pela força politica que apoia.

Anónimo disse...

caro b aranda

gosto muito da sua retórica... mas a verdade é bem diferente! se gosta de argumentar por pontos, aqui vai!

1. então vocês acham que a cidade é para encher de publicidade? então vocês acham que o papel do BE é propor eventos que favoreçam campanhas de publicidade? muito bem... fica claro, então o que quer o Zé! E não, não gosto de publicidade no espaço público... nenhuma! porquê? acha estranho que eu não goste que andem a encher de merda visual um espaço que é MEU?

2. caramba, a retórica tem limites... então vocês está a dizer o mesmo do que eu...se as turbinas não produzirem energia, então isto é uma manobra de publicidade! só que o BENEFICIADO não é o cidadão É a EMPRESA!!!!... e isto meu caro, não é ecologia, é suborno!

3. continuam a afirmar neste ponto, que o OBJECTIVO da vossa proposta é FAVORECER e ajudar a vender um produto a uma EMPRESA PRIVADA... acho que nem é preciso fazer mais comentários!

4. acho que se calhar até queriam, MAS acho é que o Zé foi enganado por um vendedorzerco de gravata de uma empresa "bestial" que lhe vendeu uma banha da cobra... e ele comprou!

...e esta foi a razão pela qual disse para terem vergonha! foi para pensarem e não voltarem a cometer o mesmo erro! E DIGO MAIS! NÃO APOIO, NEM SOU DE NENHUM PARTIDO E ATÉ VOTEI NO BLOCO... por isso, caro "b aranda" você devia ter mais cuidado com a língua e não insultar a inteligência das pessoas que não são estúpidas, pois assim não vão longe!!!!

Passar bem!