segunda-feira, 8 de junho de 2009

Resultados no concelho de Lisboa


Há cinco anos, o Bloco tinha tido em Lisboa um resultado para as europeias de 8.45% e 19.493 votos. O crescimento eleitoral do Bloco, com um nível de abstenção idêntico para 2004 e 2009, é superior a 8 mil votos no município. O Bloco passou a 3ª força política na cidade de Lisboa.

RESULTADOS ELEITORAIS EM LISBOA - EUROPEIAS 2009

PPD/PSD - 29.41% - 65.834 votos

PS - 25.62% - 57.343 votos

B.E. - 12.39% - 27.734 votos

PCP-PEV - 10.76% - 24.084 votos

CDS-PP - 9.4% 21.035 votos

MEP 3.03% - 6.782 votos

PCTP/MRPP - 0.96% - 2.152 votos

MMS - 0.79% - 1.762 votos

MPT - 0.63% - 1.407 votos

P.N.R. - 0.55% - 1.236 votos

P.H. - 0.43% - 955 votos

PPM - 0.4% - 893 votos

POUS - 0.11% - 241 votos

6 comentários:

Anónimo disse...

comentário publicado noutro blog, mas ainda actual, por isso o publico aqui, com o meu pedido de descupas por meter "foice em ceara alheia".

Escrevo isto apenas porque a arrogância na vitória sempre me incomodou.

1º O meu nome consta das assinaturas para a formalização do bloco de esquerda, fui um dos seus subscritores e sempre tive simpatia pelo movimento.

2º Votei na CDU e passo explicar porquê:

Acho que a honestidade e o trabalho devem ser premiados e Ilda Figueiredo bem o merece. Não é por acaso que Ilda Figueiredo surge no ranking do PE no 11º lugar ( 1º Português) e Miguel Portas no 398º lugar. Não é mesmo nada por acaso, o último está mais cá do que lá e trabalha muito pouco. Mais, diz uma coisa em Lisboa e deixa sentido de voto em sentido contrário no PE como aconteceu recentemente aquando de uma resolução sobre os ataques de Israel á Palestina. Não me custa nada, mesmo sendo de esquerda, reconhecer valor a quem o merece na direita ou seja onde for, por ex., Nuno Melo, Paulo Rangel ou Francisco Louçã são brilhantes parlamentares, António Pires de Lima é um excelente gestor, são pessoas que fazem falta ao País independentemente das suas convicções politicas.

Não votei no BE porque perdi a confiança no partido, não me agrada a sua estratégia, agrada a outros o que é normal, e sobretudo não queria premiar quem pouco faz, o que é moda em Portugal, onde vale mais fingir que faz do que fazer.
Fiquei surpreendido, muito desagradavelmente surpreendido, com a maneira como lidou com o episódio Vital Moreira na manifestação ou com o seu comportamento na CML.

Compreendo, mas não aprovo, a estratégia dum partido onde parecem não haver pessoas de idade onde parece que só aparece nos cartazes e é candidato quem é jovem e bonito. Funciona mas permitam-me não estar de acordo. Noto no BE uma arrogância crescente, de quem sabe que chegará ao poder, o oportunismo do poder.

3º O resultado das eleições:
Inquestionável o excelente resultado do BE e do PSD, Muito bom o do CDS. Mau, o do PS e, infelizmente, completamente merecido, ainda devia ser pior (e não fico feliz por dizer isto). Excelente também o resultado do PCP, por muito que o queiram assombrar, esteve á beira de eleger um terceiro deputado, subiu a sua votação, voltou a ganhar o Alentejo e Setúbal. Tem subido com consistência e não ao sabor apenas de um voto de protesto, dum oportunismo político ou de uma moda promovida pela comunicação social. Luta com sinceridade e raramente é alvo de uma palavra de apreço, é constantemente ostracizado pela comunicação social e as suas actividades desvalorizadas, as pessoas que o representam por muito que façam nunca têm valor ou só são bons quando saem. Ficou atrás do BE e então? Não vejo nisso qualquer problema. Problema, e sério, vejo é na subida da direita na Europa, na continuação no cargo de uma pessoa como Durão Barroso ou outro como ele, aí sim vejo um grande problema.

VG

Anónimo disse...

Estou de acordo, não há problema algum da CDU ter ficado atrás do Bloco. Nas próximas poderá acontecer o contrário. Quanto à presença na comunicação social estou em desacordo, porque de facto a CDU ocupa mais espaço noticioso que o Bloco. Basta ver os indicadores que todas as semanas são publicados pela imprensa. O problema é outro. É que a forma do PCP transmitir a sua mensagem está gasta, envelhecida, não desperta interesse. Os métodos dentro do PCP são insuportáveis e fazem-lhe perder credibilidade. É um problema próprio do PCP e torna-se ridículo quererem responsabilizar a comunicação social pelos seus males.

Anónimo disse...

As razões que a anónimo apresenta para não ter votado no Miguel Portas, julgo que se devem ao desconhecimento do que é o Parlamento Europeu.

Aliás julgo haver muita demagogia na forma como é apresentado o trabalho de Ilda Figueiredo, e a forma como demagogicamente a dita senhora, apresentou o problema dos salários.
Esta senhora é deputada ao Parlamento Europeu, vereadora na Camara de Gaia, foi candidata não eleita pelo distrito de Aveiro ás legislativas, não acham que são candidaturas a mais.....todas no mesmo periodo....

E como não acredito que ninguem tenha o dom da ubiquidade , penso que haverá por aqui muita coisa mal explicada.

Mas enfim , como o BE é um partido plural, onde ninguem È EXPUlSO, por não seguir as regras impostas por um qualquer Comité Central, onde a critica é livre e incentivada, entendo que poderá haver pessoas que não se adaptam a ter de pensar pela sua cabeça, e preferem apoiar partidos, em que a liberdade de pensamento e de critica, tem como resultado a expulsão.

Anónimo disse...

Quem não voto no MP, do ponto de vista do Bloco, ou é parvo ou é mal informado.

Alguem, no seu estado de espirito normal, vota em MP? Acham que o homem fez alguma coisa durante a sua já longa vida que merecesse ser retribuído pelo voto do cidadão para ser deputado europeu?
Ou foi uma forma de o mandar dar uma volta, apenahra ar noutro lugar?

Anónimo disse...

Isto faliu???

Já vi um comentário no outro lado a dizer isso.

Joaquim Pinto disse...

Deixo o convite a visitar o blogue do Bairro da Boavista em Lisboa http://bairrodaboavista-lisboa.blogspot.com